Sono profundo


Desperto do abismo
De meus sonhos sem sentido
E deitado sobre a grama
Na margem de um rio
Admiro as estrelas

Com meus dedos
Toco-te os pés
E escorregando pelas tuas coxas
Encontro tuas mãos
Aproximo nossos corpos
E te carrego nos braços

Deito-te num bote
E me ponho a remar
Pelas águas deste rio
Límpidas e serenas
E com uma gota entre os lábios
Tu nos iluminas

Abençoados pela lua
Nos aquecemos com um beijo
E alucinado com teus suspiros
Eu me afogo em teus cabelos

Suspirando em teu pescoço
De olhos entreabertos
Eu me entrego às águas
E entre um sorriso e um abraço
Tu vens de encontro com meus braços

Extasiados com o veneno do amor
Afundamos sem medo
Agora somos apenas um
Na mais infinita eternidade.

9 comentários:

o exagerado verdadeiro disse...

thacaramba fico massa velho...
engraçado ontem eu fui dormir com um poema mais ou menos assim na cabeça!!!!!!
ondoas cerebrais
huahauhauahuaha

o exagerado verdadeiro disse...

thacaramba fico massa velho...
engraçado ontem eu fui dormir com um poema mais ou menos assim na cabeça!!!!!!
ondoas cerebrais
huahauhauahuaha

Liège disse...

Adorei esta balada...muito medieval, muito The lady of Challot.Escuta esta história musicada cantada por Lorena Mackeneth.

Hey PlayLoh! disse...

Rafa! Depois dessa!!! Powwww *-* vc se superou vio???? Cada dia q passa!!!!!! Kct! Vc é um genio!!!! *-* perfeita demias! Ficou mto linda a cena!

Adriana disse...

Ainda axo ki rafael deveria escrever um livro...
auhauauuahauha
Phodastica essa poesia vah...amei amei
;**

Anônimo disse...

Sucesso!amei amei parabens rafa!!MTO BOAA MSM!!

Anônimo disse...

Contiinue assim!

Marília disse...

Massa!! Essa ficou massa tb!!

Julia Lemos disse...

A forma como você detalha cada momento torna o poema ainda mais sedutor . Adorei o blog!