Beleza imortal


Quem és tu,
Que montada em teu cavalo me observa
E fitando-me com teu olhar me paralisa
Fazendo-me transpirar e viajar
Pelo mais distante infinito?

Quem és tu, senhorita,
Que com apenas teu caminhar
Amedronta a todos os mortais
Que rezam pela sua ausência
Mas sabem que um dia tu haverás de chegar?

Quem és tu, bela dama,
Que cavalgando pelo além
Assiste toda a desgraça dos miseráveis
E com um golpe de misericórdia
Livra-os de todo o sofrimento?

Quem és tu, guerreira,
Que com tua espada e teu cavalo
Liberta os infelizes das dores vitais
Cantando a mais antiga das canções
A mais antiga e poderosa canção
Que nos dá a graça de um sono eterno?

Apenas sei que és o segredo da vida
Porque sem ti ela não existiria
Nem sentido algum ela teria.

E que teu tenebroso olhar
Frio e misterioso
É resultado dos infinitos anos de solidão
Em que esteve presente entre os vivos,
Em que foste a rainha dos mortos.

5 comentários:

marcia disse...

nossa que poema lindo, mas da medo cara, que isso ^^
brinkadeira, adorei, bjus

Skywalker Fly disse...

Rafa O.O vc se superou nessas duas hein? O david e a Liege ja viram? Esta perfeita! Amei!!!! Parece q falam d mim heueheueheuehe XD
Essa poesia lembra aquela sobre o livro da morte q escrevi =] Parabens garotoooooooooooooo ^^

Poemas... disse...

Rafa essa tah d+..^^
caramba, vc tem o dom msm nehh?!!kkk...

Continue assim tah?!...
=**..bjOs..

Dimi disse...

^^
Faz tempo que n venho aq...
Bem... Essa daqui ficou otima.
A clássica morte,
linda em seu vestido branco,
Sensual como toda mulher,
Poderosa, grandiosa,
mas tambem pode ser um homem,
triste, e belo sempre arrependido por
fazer oque faz.
^^
bjux

gustavo disse...

velho essa e a poesia perfeita
dodxo muito massa
foi na minha opiniao a melhor ate agora!!!!!!