Mais que uma pedra


De volta ao início,
Lembrando de tudo que nos levou ao pó.
Você está bem
Enquanto aqui engulo seco na ponta do espinho

Não pense que vai ser fácil
Apagar nosso passado
Desabamos, nos destruímos,
Terminamos o que nem começamos

Hei, me dê a chance
De voltar a ser eu
Não me cegue
Com a ponta de sua agulha
Sei que pra você
Não sou mais que uma pedra
Mas não me deixe sozinho
De novo

Não consigo extrair
O que acumulei na garganta como o pus no meu sangue
Não me importa os restos de vida agora
Na minha mente falecida

Você me levou ao ponto mais alto
E depois me derrubou
Deste céu azul
Para com meus olhos cinzentos.

Neste céu de trevas
Com seus raios de fogo
Que me queimaram
E me consumiram intensamente

Mas de nada valerá
Dentro dessa minha concepção
Nos meus sonhos ilusionistas
Se ascendem um recomeço.

1 comentários:

Manu disse...

melhor um fim trágico a uma tragédia sem fim!!